O bibliotecário teve a intenção de legar definitivamente cerca de 3 000 volumes de livros, correspondências e notas manuscritas que acumulou. Em 1891 parte foi vendida sem ser inventariada, de modo que o que se conserva hoje na BSG, é uma parcela dos papéis deixados.

O LEGADO

O atual estado do inventário de impressos registra cerca de 230 títulos e a BSG conserva também 70 cotas de manuscritos que pertenceram a Denis ou se referem a ele , sendo que diversas cartas , notas manuscritas de Denis e 2 títulos impressos de sua autoria foram adquiridos depois de 2001 - pois a instituição continua a enriquecer e valorizar o legado.

O catálogo de Cícero Dias (Catalogue du fonds Ferdinand Denis. Paris : Bibliothèque Sainte-Geneviève - Institut Français des Hautes Études Brésiliennes, 1972) também oferece descrição sumária e parcial.
Os manuscritos são notas de trabalho e missivas. Entre os correspondentes de Ferdinand Denis encontravam-se diplomatas, viajantes, literatos, historiadores e geógrafos.
Os impressos contêm notas manuscritas do punho do bibliotecário, ou portam dedicatórias a ele.

Seria incorreto supor que as obras escritas por Denis, publicadas antes de 1890, integraram o acervo da biblioteca porque foram legadas por ele. A BSG conserva um exemplar de Scènes de la nature sous les tropiques et de leur influence sur la poésie, suivies de Camoens et Jozé Indio (1824, DELTA 51405 RES), com as armas de Carlos X de França (1757-1836) gravadas na encadernação. Ele se encontrava originalmente na biblioteca do castelo de Compiègne.

Quanto aos livros com dedicatórias, é difícil determinar a intenção dos doadores. Quais obras foram oferecidas a Denis? Quais integraram o acervo da biblioteca, sendo a dedicatória ao seu funcionário representante simples formula de cortesia? Entre os que ofereceram livros a biblioteca, muitos o fizeram por saber que a BSG era, no século XIX, um importante pólo de divulgação da cultura ibérica e da América latina.

Além disso, os catálogos indicam 4 títulos de autoria do diplomata e historiador brasileiro Francisco Adolfo de Varnhagen (1816-1878) associados ao legado mas a biblioteca conserva ainda outros. É pouco provável que tenham entrado para o acervo por outra mão que não a de Denis.

Em função dessas variantes e da larga contribuição do bibliotecário para a divulgação e o enriquecimento da biblioteca em temas ibéricos e americanos, hoje parcialmente conhecida, é preferível falar que ele deixou um legado à Sainte-Geneviève, ao invés de coleção ou fundo.

OS VIAGENS E O BRASIL, TEMAS DE PREDILEÇÃO

De modo geral, a temática da viagem atravessa o legado - seja nas obras de história, letras geografia ou etnologia.

Quanto a sua obra brasilianista, os títulos mais conhecidos são: Le Brésil, ou Histoire, mœurs, usages et coutumes des habitans de ce royaume, publicado com Hippolyte Taunay (1822), Résumé de l’histoire littéraire du Portugal, suivi du Résumé de l’histoire littéraire du Brésil (1826), Histoire et description du Brésil,escrito com César Famin (1836) e Une Fête brésilienne célébrée à Rouen en 1550… (1850). Eles foram objeto de inúmeros trabalhos e/ou reedições. Outros títulos, disponíveis para consulta na BSG, também fariam objetos prósperos de estudos aprofundados.

DUAS CONTRIBUIÇÕES AOS ESTUDOS BRASILIANISTAS

Destacamos, neste sentido, Voyage dans le nord du Brésil fait durant les années 1613 et 1614... (1864, DELTA 15522 FA), reedição do relato da estadia de Yves d’Évreux (1570-1630?), no Maranhão nos anos 1613-4.

Também merece destaque especial a identificação manuscrito da Crônica da Guiné (s. XV) de Gomes Eanes de Zurara, em 1837, conservado na Biblioteca Nacional. Até o século XIX, considerava-se o texto perdido. A primeira edição do códice foi confiada ao Conde da Carreira e ao II Visconde de Santarém. O exemplar da BSG (Chronica do descobrimento e conquista de Guiné..., 1841, DELTA 54137 FA), é mais um provável impresso do legado de Denis.

Embora não tenha participado oficialmente da edição em português, ele publicou, nas Chroniques chevaleresques de l’Espagne… (1839, DELTA 53574 (1-2) RES), a tradução em francês do capítulo 25, sobre o desembarque de escravos africanos em Lagos. Além de colaborar à divulgação de um relato então inédito da saga atlântica, Denis escolheu fazê-lo por meio da valorização de um fragmento que expressa uma particularidade histórica relevante: a venda de homens e como tal prática, fundamental à estruturação da colonização portuguesa, foi descrita como inovação sinistra. Mais de um século depois, Sérgio Buarque de Holanda, destacou exatamente o mesmo fragmento do texto de Zurara nos Elementos formadores da sociedade portuguesa à época dos descobrimentos (dissertação de mestrado (inédita), Escola de Sociologia e Politica de São Paulo, 1958, p. 13. Cf também p. 14 e 15. Cópia dact., SIARQ, UNICAMP).

A divulgação dos relatos do capuchinho de Évreux e Zurara, são exemplos da relevância da contribuição intelectual de Ferdinand Denis para os estudos brasilianistas. Ele deu a conhecer novos elementos que possibilitavam analisar de modo mais complexo faces do colonialismo europeu moderno, com a divulgação de textos inéditos e raros, que continuam a despertar interesse e de grande relevância para estudos de história, literatura e geografia.